Preparar-se para a diálise

Preparar-se para a diálise

É boa ideia começar com um plano quando chega a altura de fazer diálise, quer seja o primeiro dia de tratamento ou o décimo quinto. Temos oito sugestões para o ajudar a preparar-se e para manter a sua qualidade de vida enquanto estiver a fazer diálise.

1. Seja um bom aluno

Saiba mais sobre a sua doença e aprenda com a sua equipa de cuidados renais.

2. Organize um encontro renal

Fale com os seus familiares e amigos sobre o facto de precisar de fazer diálise e sobre o que está a sentir. Contar com apoio, desde cedo e sempre que precisar, pode ajudá-lo a preparar-se para fazer diálise.

3. Decisões, decisões... sobre a diálise

Discuta as opções de tratamento com o seu Nefrologista, pois juntos poderão escolher o tratamento mais adequado para si.

4. Os outros doentes podem ajudar

Os outros doentes podem ajudá-lo, pois sabem aquilo por que está a passar. Os doentes que estão a fazer diálise podem ajudá-lo a perceber o que deve e não deve fazer na sua preparação para a diálise.

5. Do ponto A para o ponto B

Descubra quais são os centros e infraestruturas de saúde mais próximos do sítio onde vive e trabalha, de modo a planear o transporte. Use a ferramenta Encontre um Centro de Diálise.

6. Passe livre para a diálise

Para fazer diálise tem de fazer previamente um procedimento cirúrgico para construir um "acesso", que permite que o sangue passe do seu corpo para a máquina de diálise e regresse novamente ao seu corpo. O seu nefrologista discutirá consigo como é que será feita a preparação para a cirurgia de construção do acesso assim que tenha decidido qual é o tipo de tratamento que irá fazer.

7. Conserve o seu emprego

Não deixe de trabalhar enquanto estiver a fazer diálise, pois é vital para o seu bem-estar, tanto mental como financeiro. Fale com o seu empregador de modo a adaptar o seu trabalho em função das suas necessidades assim que comece a fazer o tratamento.

8. Faça uma dieta saudável para os rins

Um dietista ou nutricionista ajudá-lo-á a seguir a dieta renal que lhe tenha sido aconselhada assim como a reorganizar a sua lista de compras. Num abrir e piscar de olhos, estará a comer alimentos que são deliciosos e benéficos para os rins.

Adapte o seu estilo de vida à diálise

Tome os medicamentos, Assuma o controlo

As pessoas que estão a fazer diálise têm, frequentemente, de tomar vários medicamentos e o horário de toma é realmente importante. Por exemplo, poderão ser-lhe prescritos captadores de fósforo, que deverá tomar às refeições, e uma vitamina para tomar num horário diferente. Para ter uma rotina para tomar os medicamentos diariamente siga os seguintes conselhos:

  • Escute e aprenda: Faça uma lista dos medicamentos que tem de tomar, nomeadamente das vitaminas e dos suplementos sem receita médica e fale com o seu médico de modo a saber a razão pela qual cada um destes medicamentos foi prescrito, quando é que devem ser tomados e o papel vital que desempenham para a sua saúde.
  • Seja organizado: Experimente usar uma caixinha para organizar os medicamentos e tome o mesmo medicamente todos os dias à mesma hora (excepto se o médico lhe der instruções diferentes). Outra dica excelente é associar a altura em que toma o medicamento com a sua rotina diária, como por exemplo, quando vê o seu programa de televisão preferido ou antes de se deitar.
  • Não interrompa a sua medicação: Se sentir efeitos secundários fale com o seu médico antes de parar de tomar qualquer medicamento. Também não se deve esquecer de pedir as receitas com a devida antecedência para não ficar sem medicamentos.

Conheça os medicamentos que tem em casa

Devem ser evitados analgésicos que podem ser comprados sem receita médica, como por exemplo, o ibuprofeno, naproxeno e alguns suplementos que são nocivos para os rins.

Saiba mais sobre a Dieta da Diálise

Há duas coisas a saber sobre a dieta da diálise: em primeiro lugar, é diferente das escolhas alimentares que já possa ter feito e, em segundo lugar, não deve tentar introduzir demasiadas mudanças ao mesmo tempo. Algumas pessoas, quando começam a dieta da diálise, optam por se concentrarem naquilo que não "podem" comer. Muito embora existam alguns alimentos e bebidas que devem ser evitados, não se esqueça do seguinte: seguir as orientações de nutrição para diálise é uma forma de assumir o controlo da sua saúde e de ter uma melhor qualidade de vida. Encare a alimentação em diálise como uma oportunidade para experimentar coisas novas. Explorar receitas deliciosas como as que pode encontrar em DaVita.com/pt, planear refeições e partilhá-las com a sua família pode ser divertido e agradável.

Prepare-se e à sua Equipa de Prestação de Cuidados de Saúde

Manter informados todos os elementos da equipa que lhe prestam cuidados de saúde é um dos aspectos mais importantes e facilitadores da sua transição para a diálise . O seu médico de família, o médico da diabetes (endocrinologista), o cardiologista - todos precisam de saber quando é que começa a fazer diálise, pois o tratamento pode afectar os resultados das análises, os seus objectivos de saúde e os medicamentos que lhe sejam prescritos.

Dieta e nutrição: QI Alimentar para pessoas com doença renal

À medida que a função renal vai diminuindo, os resíduos de proteínas e de minerais são cada vez mais difíceis de eliminar e os rins doentes têm de trabalhar mais para eliminar esses resíduos. A dieta renal é diferente para cada pessoa, mas os principais nutrientes limitados nas dietas renais incluem as proteínas, o fósforo, o potássio e o sódio. Leia e melhore o seu QI/conhecimento sobre alimentos saudáveis para os rins.

Seja sensato na ingestão de água

Opte por água da torneira ou água sem gás engarrafada, água mineral ou água com gás com sabores. As águas especiais podem conter aditivos de sódio, potássio ou fosfatos.

Escolha o seu chá

Chá feito em casa é a alternativa ideal à água. Algumas bebidas engarrafadas ou em lata têm um elevado teor de fosfatos, por isso é melhor limitar a ingestão deste tipo de bebidas.

Escolha a carne de aves

Opte por carne fresca de aves e porco. Muitos dos produtos pré-cozinhados (inclusive molhos, nuggets de frango e tirinhas de porco) contêm quantidades assinaláveis de aditivos de sódio, fosfatos e potássio.

Opte por uma alimentação orgânica

Faça sopa em casa com um baixo teor de sódio com produtos orgânicos. Os produtos orgânicos têm tendencialmente um menor teor de fósforo, um mineral cuja ingestão deve ser limitada nos doentes que estão a fazer diálise.

Explore o seu lado vegetariano

Faça refeições sem carne ou entradas com quantidades modestas de carne para reduzir a ingestão de proteínas e reduza, deste modo, o stress a que sujeita os seus rins. Nas refeições sem carne há menos gorduras saturadas - boas notícias para o seu coração.

Delicie-se com o sabor - queijo

Opte por queijos de sabor forte naturais e limite a ingestão de queijo a 25 ou 50 gramas para o ajudar a diminuir a ingestão de gorduras saturadas, colesterol, sódio e fósforo.

Tenha nota máxima nos antioxidantes

Coma alimentos ricos em antioxidantes, como maçãs, frutos silvestres, cerejas, uvas pretas, couve, couve-flor, alho, cebolas e pimentos vermelhos para o ajudar a diminuir a inflamação crónica associada à doença renal, cardiovascular e ao cancro.

Aumente a potência com as proteínas

Escolha como fontes de proteína: a clara do ovo e peixes ricos em omega-3. Independentemente do seu nível de proteína, planeie, pelo menos, metade de fontes de elevada qualidade, tais como os acima referidos para garantir a ingestão de todos os aminoácidos essenciais. A clara do ovo tem um teor muito baixo de fósforo; peixes, como o salmão e a truta, reduzem a inflamação associada à doença renal e cardíaca.

Corte nas gorduras

Substitua as gorduras não saudáveis, a gordura de origem animal e a margarina hidrogenada por gorduras saudáveis, tais como o azeite e a margarina sem gordura.

Saiba as diferenças na dieta renal
Dieta pré-diálise Dieta em diálise Dicas na sua dieta

Líquidos

Líquidos provenientes de bebidas, frutas e vegetais normalmente não são restringidos neste tipo de dieta.

A maior parte das pessoas em hemodiálise necessita limitar a sua ingestão de líquidos entre 4 a 8 copos por dia.

Fatias de limão, gelo e bochechos podem ajudar na diminuição sede

Potássio

Não é necessária uma dieta restrita neste mineral a não ser que os valores do mesmo se encontrem altos nas análises.

O tipo de diálise e os valores das análises irão determinar se é necessário realizar uma dieta pobre em potássio.

Limite o consumo de fontes de potássio tais como as bananas, as laranjas, a batata, os produtos feitos à base de tomate, iogurtes e frutos secos.

Fósforo

Se o valor de fósforo nas análises estiver elevado talvez seja importante reduzir o consumo de produtos lácteos, frutos secos, leguminosas, carne e fontes de soja.

Os utentes em diálise geralmente continuam a limitar o consumo de alimentos ricos em fósforo e normalmente tomam medicação captadora deste mineral a fim de o manter dentro dos valores de referência.

Leia atentamente os rótulos dos alimentos e procure os aditivos alimentares com base de fosfato que podem contribuir para uma quantidade significativa da sua ingestão diária neste mineral.

Sodium

É importante limitar a ingesta diária de sódio até 1500mg. Opte por escolher alimentos frescos e menos processados, produtos com baixo teor de sódio e reduzir o consumo de fast-food.

A meta diária deste mineral pode ir de 1000mg até 3000mg, dependendo do tipo de tratamento realizado. É importante continuar a consumir produtos frescos, com baixo teor de sódio e a optar por uma alimentação mais caseira à base de ervas aromáticas.

Descubra um novo mundo de sabores com baixo teor de sódio à base de ervas aromáticas, especiarias, diferentes tipos de vinagres e azeites aromatizados.

Proteína

À medida que a sua função renal diminui, é importante reduzir o consumo de proteína para minimizar a acumulação de produtos nitrogenados e toxinas urémicas, reduzindo também a proteinúria.

Já não é necessária uma dieta com baixo teor de proteína. Os utentes em hemodiálise necessitam de um aporte extra deste macronutriente para compensar as perdas que ocorrem durante o tratamento.

Obtenha pelo menos metade da sua proteína de fontes de alto valor biológico tais como a carne, aves e ovos.


Ajustes necessários para receitas adaptadas à insuficiência renal com baixo ou elevado teor de proteína

As dietas para a insuficiência renal variam no seu teor de proteína, dependendo do estadio da doença ou se já estiver em diálise (também varia consoante o tipo de diálise). Pode encontrar uma receita que apresente um teor muito alto ou muito baixo de proteína para a sua dieta individualizada, e querer saber como adaptá-la. Os nutricionistas DaVita reuniram algumas dicas para ajudá-lo a ajustar receitas tendo em conta as suas necessidades de proteína.

Como ajustar as porções?

Alterar o tamanho da porção é o ajuste mais fácil para fazer à receita. Se tem um plano alimentar definido, use os seus valores totais para a proteína a fim de determinar o seu total para o dia. Muitos planos alimentares são flexíveis, permitindo-lhe decidir como dividir a sua meta de ingestão diária.

Depois de conseguir fazê-lo com facilidade, irá encontrar muitas receitas que podem ser ajustadas para poder fazê-las tendo em conta o seu plano alimentar. Consulte o seu Dietista/ Nutricionista se não tiver um plano alimentar adequado.

Como ajustar os ingredientes?

As mudanças de ingredientes são outra forma de ajustar o teor de proteína numa receita. Em primeiro lugar, deve identificar os ingredientes que poderão ser ou conter uma fonte de proteína. Fontes óbvias deste macronutriente incluem as carnes, aves, peixes, ovos, queijos, leite, tofu e substitutos da carne, mais utilizados na dieta vegetariana ou vegan. As fontes de proteína que não são tão óbvias incluem caldo de carne, ovos ou leite adicionado como um ingrediente "escondido". Massas, cereais, grãos, pão ou bolachas à base de ovo e leguminosas também podem aumentar o teor proteico de uma receita. Depois de os identificar, pode fazer ajustes nas quantidades ou substituí-los com ingredientes de baixo ou alto teor proteico.

Ao ajustar os ingredientes, lembre-se de algumas regras importantes na cozinha:

  • Alterar os temperos na receita para que os sabores não sejam demasiado fortes ou fracos.
  • Ao reduzir a quantidade de queijo, use queijos com sabores mais intensos.
  • Se substituir parte do caldo numa receita, adicione uma quantidade igual de água.
  • Aumente o sabor da receita com ervas e especiarias adicionais ou vinagre balsâmico.
  • Use um substituto do leite com alto teor de proteína, como a bebida de soja e substitua as natas pelo iogurte grego.
  • Alguns ingredientes, especialmente os produtos de panificação, se forem alterados irá mudar a forma de execução das receitas. Pão, bolos, biscoitos, bolos e alguns pudins podem exigir alguma reformulação para obter as receitas de forma correta.
  • Quando se diminui a carne ou os ovos inteiros numa receita, adicione, gorduras “saudáveis” extras (como o azeite) para substituir o valor calórico e adicionar algum sabor.
  • Pequenas porções de proteína podem exigir a adição de amido de milho ou fécula de batata, além das gorduras “saudáveis” para obter a quantidade adequada de calorias.
  • Porções maiores de proteína podem limitar o teor de gordura adicionado e o tamanho da porção, se o ganho de peso e o valor de colesterol forem uma preocupação.

A próxima vez que encontrar uma receita fora do seu alvo de proteína, pense antes de a ignorar. Use estas recomendações e dicas de cozinha para fazer muitas receitas que se adequem ao seu plano alimentar individual.

Encontre um Centro de Diálise

Encontre o centro mais próximo.

Procurar Agora

Investigação Clínica na DaVita

Líderes em investigação clínica, inovação e Operações

Saiba Mais

Liderança Clínica

Conheça alguns dos nefrologistas de renome mundial que estão a criar os programas DaVita de prestação de cuidados aos doentes

Conheça a Equipa

Opções de Tratamento

Dê o primeiro passo para compreender a doença renal e o tratamento que é mais adequado para si.

Encontre tratamentos

Prémios e reconhecimentos

Sentimo-nos muito orgulhosos e motivados pelo reconhecimento que obtivemos pelos cuidados prestados aos doentes, pela inovação clínica e gestão e pela cidadania empresarial.

Ver prémios
Back to Top